23 de mai de 2010

Laura - A vida é um gol

Foi estranho observar ela entrando sozinha no táxi carregando duas malas e um sorriso de lado a lado no rosto. Aqui de cima, eu abri toda a persiana da janela para que pudesse ver melhor seus gestos rápidos. Ela partiu rindo e abanando alegremente, com seu sorriso loirinho.

Poderia ser comum que um de nós – eu ou meu irmão – estivéssemos entrando naquele táxi com uma porção de bagagens indo para algum lugar desconhecido quando, normalmente, são os pais que abrem caminho para a vida dos filhos. Por isso, foi diferente ver minha mãe partindo sozinha, me fazendo perceber que também somos nós, os filhos, que abrimos caminho para vida de nossos pais.

Ela nos deixou responsáveis pela casa, pela nossa avó-criança, pelo gato, pelas roupas, pela limpeza, pela comida e por tudo o mais que aqui quem cuida é ela.

Quando saiu, seu doce perfume encheu a casa de calor e de saudade deixando um aroma de já volto.

22 de mai de 2010

Como amar seu dragão?

Voltei a ficar sem tempo até quando tenho tempo. Então lá vai a dica:


Esse filme é muito bacana, pois é uma ficção muito interessante que trata da aproximação do homem com o animal, apesar de não se comparar a outras animações do gênero em questão de história e desenvolvimento dos acontecimentos. A relação do personagem principal, Soluço, e de seu “animal de estimação”, o dragão Banguela é lindíssima e começa como toda relação entre seres humanos e entre humanos e animais. Primeiro, um momento de estranhamento e até de desgosto, seguida de um carinho e depois de uma amizade e amor incondicionais. Lembra-me muito a relação que tenho com meu gato e é isso que mais me fascina.

Além de tudo, a trilha sonora é linda e as imagens excelentes.

Eu adorei.

15 de mai de 2010

A melhor banda de todos os tempos da última semana

Clipe mais legal de todos do momento:
Telephone com Lady Gaga e Beyoncé

10 de mai de 2010

8 de mai de 2010

Tem uma mariposa no concreto

Entrei no ônibus. Vi no vidro da janela uma mariposa que se esforçava para encontrar a saída. Ela voava de um lado para outro, andava no vidro, mudava de janela, mas não conseguia sair. Pensei em pegá-la pelas asinhas e colocá-la para fora, mas queria ver até onde ela ia chegar e esperei. Durante esta espera, imaginei uma mariposa-humana e suas possíveis reações diante do desafio em que se encontrava. Mil possibilidades de ações e reflexões poderia ter essa mariposa-humana. Ela poderia ficar neurótica, achando que esse tipo de coisa só acontecia com ela, poderia estar claustrofóbica, ansiosa, tendo um ataque de pânico por não conseguir achar a saída, poderia estar rezando implorando um auxílio maior para sair dessa situação desesperadora, poderia estar pensando que ia conseguir sair desta situação mesmo que isso lhe custasse a vida – afinal quando foi que ela desistiu antes? Essa circunstância poderia criar um trauma na vida da mariposa, a resolução desta questão – qualquer que fosse ela – poderia causar-lhe uma significativa modificação no modo de encarar a vida, de relacionar-se com as pessoas, de ver o mundo. Afinal, que destino teria a mariposa se fosse ela humana?

*

Sendo ela uma mariposa, voou para a porta quando esta se abriu...

7 de mai de 2010

Te cuida mamãe, por que as manias aparecem!!!

Mais uma reportagem inusitada da BBC:

"Exposição de fotos na Espanha usa humor para tratar da velhice


Uma exposição de fotos recém-inaugurada na Espanha retrata com humor as manias das mulheres com mais de 50 anos, como a de escolher a calcinha favorita para ir ao ginecologista. As ideias chegaram até o fotógrafo Héctor Barnabeu através de um grupo no Facebook. As modelos posaram voluntariamente e assumiram, por exemplo, que colocam um saco na cabeça para se proteger da chuva. A mostra 'Senhoras que...' reuniu mulheres de toda a Espanha para um total de 20 fotos. Em outra foto, elas satirizam a mania de se lamentar das doenças e tarefas domésticas com as amigas."

Muito legal a prática de satirizar a si mesmo, eu já faço isso desde os tempos mais remotos.

Só um ponto de discordância: velhice acima dos 50 anos? Isso é bem estranho, por que as mulheres de 50 que eu conheço de velhas não tem nada. E nem seuqer se parecem com essas senhoras. Acho que a velhice começa aos 70 e mesmo assim, não é um termo muito interessante, afinal o que é que fica velho? São as pessoas ou os tecidos?

A reportagem na integra com mais fotos: http://www.bbc.co.uk/portuguese/cultura/2010/05/100507_exposenhorasml.shtml